ASSEMBLEIA MUNICIPAL DA HORTA REPUDIA FALTA DE VERBAS PARA SEGUNDA FASE DA ESCOLA BÁSICA E INTEGRADA


A Assembleia Municipal da Horta aprovou, por unanimidade, uma moção do PSD que “repudia” a não inclusão, no Orçamento da Região para 2020, de verbas para a segunda fase das obras de requalificação da Escola Básica e Integrada António José d’Ávila.

“Não se compreende que, passados todos estes anos, as cerca de 600 crianças que frequentam o estabelecimento de ensino continuem a aguardar a tão prometida segunda fase, que contempla instalações essenciais ao desenvolvimento do projeto educativo, nomeadamente espaços para atividades desportivas, sala de ensino especial, laboratórios de ciências e espaços ao ar livre”, refere a moção apresentada pelos social-democratas.

Segundo a líder do grupo municipal do PSD, Susete Amaro, “este tem sido um processo de obras faseadas, envolto em sucessivos adiamentos, como tantos outros nesta ilha”.

A social-democrata lembrou que a primeira fase da obra foi inaugurada pelo Governo Regional no início do ano letivo 2014/2015, devendo as obras da segunda fase terem arrancado “logo de seguida”.

“Fomos assistindo, por parte do Governo Regional, ao encolhimento, nos sucessivos Orçamentos da Região, da verba para a Escola, até ao ponto de, no Orçamento para 2020, esta ter ficado reduzida a zero”, explicou Susete Amaro.

Na moção apresentada pelo PSD e aprovada por unanimidade, é expresso “o repúdio da Assembleia Municipal da Horta pela não inclusão no Orçamento da Região para 2020 de verbas para a segunda fase das obras da Escola Básica e Integrada António José d’Ávila”.

87954884_829966334159723_8452068340821655552_o