Comunicado Comissão Política de Ilha do Faial


sata hortaPassados mais de 4 meses da manifestação de muitas pessoas no Faial na defesa de melhores acessibilidades aéreas, o Presidente do Governo Regional respondeu à carta reivindicativa que lhe foi entregue naquela altura.
Recorde-se que naquela carta as pessoas que se manifestaram solicitavam, resumidamente, o seguinte:
1 – Implementação no Aeroporto da Horta do RISE;
2 – Tripulações habilitadas para operar simultaneamente nos aeroportos da Horta e do Pico e para a operação noturna;
3 – Que o Governo Regional dos Açores assumisse a liderança e a participação financeira em todas as parcerias necessárias que visem a ampliação da pista do Aeroporto da Horta;
4 – Um número mínimo de 14 ligações diretas semanais entre Lisboa e a Horta especialmente em julho e agosto;
Na sua resposta o Presidente do Governo em relação às duas primeiras reivindicações dá conta dos desenvolvimentos em curso que, a se concretizarem como é indicado, é positivo.
Porém, em relação às outras duas reivindicações, nada de concreto avança e nenhum compromisso assume com vista à sua concretização.
No que respeita à reivindicação de realização de 14 ligações diretas semanais, em julho e agosto, entre Lisboa e Horta, mais grave do que o Presidente do Governo não a acolher, é não contrariar aquilo que consta na programação da Azores Airlines para aqueles meses deste ano. Em apenas duas semanas desse período é que estão previstas as reclamadas 14 ligações. Em 2014 a TAP realizou naqueles meses 124 ligações, a Azores Airlines tem programadas para este ano 100 ligações. São menos 24 ligações!
Em relação àquela que é provavelmente a nossa maior reivindicação neste domínio – a ampliação da pista do nosso aeroporto – o Presidente do Governo limita-se lamentavelmente a repetir, de forma parcial e deturpada, desculpas do passado, quando o que os Faialenses lhe solicitaram foi soluções para o futuro que visem a concretização deste investimento. Como se confirma, mais uma vez, o Governo Regional e o PS/Açores insistem em não fazer parte das soluções que são necessárias. Afirmar que o Governo Regional defende a ampliação daquela pista, mas que a responsabilidade é de outros, é muito pouco.  A um Governo de uma Região Autónoma e que perceba os constrangimentos e as potencialidades de todas as ilhas exige-se muito mais. Exige-se, como refere a mencionada carta reivindicativa, que assuma a liderança política deste processo e constitua as parcerias necessários para concretizar este investimento.
Já sabemos que na sequência da divulgação deste comunicado teremos, mais uma vez, uma reação do PS/ Faial com a narrativa habitual virada para o passado. Os Faialenses já conhecem esse passado e sabem muito bem quem lhes prometeu este investimento e não cumpriu. Exortamos o PS/Faial a virar-se para o futuro e a concentrar as suas energias em procurar soluções que contribuam para a concretização deste investimento estruturante para o nosso desenvolvimento.

Horta, 06 de fevereiro de 2017

O Presidente da Comissão Política
Estêvão Gomes