Intervenção da CPI Faial no XXI Congresso do PSD/Açores – 21/03/2015


Exmº Senhor Presidente da Mesa do Congresso, companheiro José Manuel Bolieiro

Exmº Senhor Presidente do PSD Açores, companheiro Duarte Freitas

Caras companheiras e caros companheiros,

 

A Comissão Politica da Ilha do Faial, neste XXI Congresso do PSD Açores, pretende homenagear o companheiro Alberto Romão Madruga da Costa por tudo o que ele foi, representou e defendeu utilizando as suas doutas palavras e ensinamentos para colocar o dedo nas feridas da nossa autonomia democrática e refletir convosco o presente apontando ao futuro.

Alberto Romão Madruga da Costa será, sempre, uma referência para a Autonomia dos Açores e um exemplo para a social-democracia açoriana de defesa intransigente da livre administração dos Açores pelos açorianos, mas também de afabilidade, respeito pelo próximo, abertura e tolerância no debate político. Alberto Romão Madruga da Costa, natural da cidade da Horta, foi presidente do governo regional dos Açores, foi deputado eleito pela ilha do Faial no parlamento açoriano e secretário regional dos Transportes e Turismo tendo ainda desempenhado dois mandatos com o cargo de presidente da Assembleia Legislativa Regional dos Açores. Foi também dirigente local e regional do PSD/Açores onde ocupou diversos cargos como o de vice presidente da Comissão Política Regional, presidente da Mesa do Congresso e presidente da comissão política da ilha do Faial, entre outros.

Alberto Romão Madruga da Costa, ajudou a construir os alicerces da Autonomia dos Açores e do PSD Açores com ideais que sempre procurou transmitir, sendo para nós Faialenses o nosso maior exemplo de um cidadão Açoreano de corpo inteiro.

Aprendemos com ele um ideal de desenvolvimento dos nossos Açores que não se verifica infelizmente. Para ele o PSD era os Açores pois a essência do partido assentava da defesa e no desenvolvimento de todas as ilhas.

Na verdade grande parte do que ele defendia está hoje em perigo por culpa de quem nos governa. O desenvolvimento autonómico, harmonioso e solidário das nove ilhas dos Açores está ferido e necessita com grande urgência de tratamento adequado.

Todos sabemos que o atual governo dos Açores, assim como o Partido que o suporta, não tem condições para garantir o que o PSD sempre defendeu e pretende para o desenvolvimento das nossas ilhas.

O Governo Regional que o Sr. Vasco Cordeiro deveria comandar, e dizemos deveria comandar porque não tem um Governo mas sim um desgoverno que o mesmo tenta controlar descontroladamente, está a destruir os Açores.

O PS e o seu governo estão a colocar ilhas contra ilhas e Açoreanos contra Açoreanos escondendo-se atrás do “betão” que vai distribuindo por diversas localidades de forma interesseira, desonesta e com planificação mais do que duvidosa.

As políticas sectorais desenvolvem-se numa tentativa de apagar fogos não existindo um rumo que consigamos perceber arrastando-nos para uma crise sem igual na nossa história.

Os Açores no seu todo estão a precisar de um plano de revitalização e não apenas em uma ou outra ilha.

O PS Açores imita na perfeição o que há de pior no PS Nacional onde todos temos visto ciclicamente os governos PS a fazer dívida e os governos PSD a seguir a pagá-la. Infelizmente a maioria dos portugueses tem olhado mais para o imediato do que para o nosso futuro comum.

A ilha do Faial é gerida pelo PS á mais tempo que os Açores pelo que a situação ainda é pior.

Com uma câmara municipal, defensora do governo PS até naquilo que a prejudica, que nunca investiu atempadamente em diversos sectores como o saneamento básico e estradas numa inércia preocupante vemos agora o novo QC de apoio não possuir verbas para essas áreas e bem pois já não é tempo para esse tipo de apoios ficando os faialenses e os Açoreanos todos a perder pois o bem de umas ilhas é também o das outras.

Sabemos que todas as nossas ilhas necessitam de investimento e que todas estão a braços com problemas agravados no caso do Faial com o encerramento de serviços nos últimos anos como por exemplo a companhia de infantaria e estação rádio naval com cerca de 240 militares e muitos com as suas famílias prejudicando bastante com a fraca economia da ilha.

Existem também muitos investimentos no Faial que teimam em realizar-se. Muitos deles são apresentados á anos mas o povo já nem acredita:

São as termas do varadouro, é a conclusão do anel que circunda a cidade mais conhecido como variante para não falar da primeira fase da mesma em que o piso original teve que ser substituído parcialmente ainda antes de ser inaugurado numa obra em que a iluminação publica ainda está por fazer, é a ampliação da pista do aeroporto que o Sr. César prometeu fazer caso o governo da república não fizesse, é a construção dos polivalentes da Feteira e de Pedro Miguel, é o campo de golfe, é a conclusão das obras no porto comercial e de pescas, é a segunda fase da Escola Básica e Integrada da Horta, é o Matadouro da Horta, é a máquina de gelo para o Porto da Horta, é a Escola do Mar, etc, etc…

Aliado à falta de investimentos somos confrontados com as fracas politicas regionais e locais em muitas áreas podendo-se exemplificar a falta de planificação na gestão do Hospital da Horta com cada vez menos especialidades e redução da vinda de especialistas, com a redução das ligações aéreas diretas com Lisboa e em horários desadequados, com o eventual encerramento da Cruz Vermelha na Horta nas costas dos faialenses e de grande parte dos açoreanos, etc, etc.

A fraquíssima execução orçamental do governo regional na ilha do Faial nos últimos anos situando-se essa execução sempre abaixo dos 50%, sendo mesmo em 2012 de 28% é ilucidativa do que o PS se habituou a fazer. Prometer e adiar, voltar a prometer e a adiar e assim consecutivamente!

Caras e caros companheiros,

Só o PSD Açores pode traçar um novo rumo para o desenvolvimento harmonioso dos Açores pois só o PSD saberá elencar as prioridades de investimento por ilha e no todo da região de forma consensual e solidária por forma a investir com critério e planeamento.

O PSD Açores tem essa obrigação, por estar no seu ADN, de olhar para o desenvolvimento do todo regional nunca esquecendo todas as suas parcelas.

É entendimento da CPI do Faial, que a nossa ilha, é por excelência “ilha do mar” com uma tradição que fala por si, uma referência internacional do iatismo, uma visita obrigatória dos amantes do mar. Assim defendemos uma aposta estratégica no mar na ilha do Faial, potenciando o desenvolvimento da ilha e da região, no crescimento do polo universitário da universidade dos Açores, ao nível da investigação e do ensino, para ser cada vez mais uma alavanca de projeção internacional da região.

Caras e caros companheiros,

A Comissão Politica da Ilha do Faial com o sentido de visão do todo regional, com espirito reivindicativo e toda a nossa disponibilidade para colaborar acredita que com a liderança do nosso companheiro Duarte Freitas, com a vontade e apoio de todos os militantes e simpatizantes teremos a maioria do povo Açoreano do nosso lado e estaremos preparados para levar os Açores para um rumo de desenvolvimento com confiança e esperança no nosso futuro e dos nossos filhos.

Viva o PSD, viva os Açores!!!