O Partido Socialista perdeu a vergonha


O Partido Socialista perdeu a vergonha. Ao fim de dezoito anos de poder nos Açores e de vinte e cinco anos na Câmara da Horta, o PS utiliza os cargos públicos e o arco da governação para dar ocupação aos seus correligionários e familiares. E fá-lo com uma desfaçatez e uma ausência de critérios cada vez mais chocantes.

A situação do Faial é particularmente escandalosa. E exige que seja repudiada e condenada. Mas exige também que a situação seja conhecida para, por ser tão grande, não parecer natural.

Porque importa que os Faialenses saibam o que se passa e conheçam o ponto da situação, convidamos cada um a fazer um exercício de memória.  E ajudamos esse exercício de estabelecimento das relações evidentes entre a pertença partidária e/ou a inclusão em listas daquele partido e o preenchimento de tantos cargos como os que constituem o Gabinete da Presidente da Assembleia, o Gabinete do Presidente da Câmara, o Gabinete dos Secretários Regionais, os cargos na maioria dos Serviços de Ilha, os cargos na maioria das administrações das empresas públicas regionais, os cargos que se criam e ocupam por comissões de serviço ou requisições, etc.,etc.

A recente nomeação para o cargo de chefe de sector da Lotaçor no Faial de um cidadão sem conhecimentos nem formação específica na área e o caso da entrega da prestação de serviços jurídicos, sem concurso, a um cidadão reformado, são apenas os últimos de uma infinidade e apenas têm objetiva explicação num quadro de recompensa pela sua inclusão em listas eleitorais do PS no Faial e de um descarado protecionismo partidário, que merecem a nossa mais viva condenação.

Horta, 13 de Novembro de 2014

A Comissão Politica do PSD/Faial

O Presidente

Andy Rodrigues